16, jan, 2017

Melanina e Melasma: Entenda a relação

Melasma e melanina estão intimamente relacionados: as manchas, que geralmente aparecem na região do rosto, são causadas pelo excesso de melanina na pele, provocando a tonalidade mais escura. Por isso, inclusive, o melasma é uma condição clínica categorizada como hipermelanose. Entretanto, não é simplesmente uma vilã que se instalou em nosso organismo para criar marcas indesejadas, ao contrário, trata-se de uma substância fundamental no combate à radiação solar.

O que é Melanina

Ela é uma proteína produzida por um tipo de célula que chamamos de melanócito. Suas principais funções são garantir a cor de nossa pele e proteger as demais células dos danos causados pelos raios de sol. Logo, pessoas de pele negra apresentam maior produção da proteina que as pessoas de pele clara – e, consequentemente, gozam de uma proteção solar natural mais poderosa.

Relação entre Melanina e Melasma

O melasma ocorre quando há um depósito aumentado de melanina na pele. Se esse depósito se encontra em uma camada mais superficial, recebe o nome de melasma epidérmico. Quando se dá mais profundamente e ao redor de vasos sanguíneos, sejam eles superficiais ou profundos, é chamado de melasma dérmico. E há também o misto, que une as características das duas categorias acima.

Ainda não é possível precisar a causa específica dessa superprodução de melanina, mas os principais fatores relacionados são a exposição frequente ao sol, de maneira descuidada, e mudanças hormonais, especialmente na gravidez. A predisposição genética e o aparecimento de certas doenças também interferem consideravelmente.

Hormonios que tem relação com o Melasma

Entre os hormônios, os que apresentam maior indício de relação com o melasma são estrógeno e progesterona. Portanto, as mulheres compõem a grande maioria de pacientes diagnosticados (cerca de 90%). E, justamente pela relação com a melanina, as manchas tendem a aparecer em pessoas de pele mais escura, como em etnias africanas, indianas e hispânicas.

Se você ainda tiver perguntas comuns sobre melasmas, visite esse post e saiba tudo a respeito!

Compartilhe:
Comentários: