11, ago, 2020

Ácido Tranexâmico para Melasma: Tudo e mais um pouco sobre o tratamento

Você já ouviu falar sobre utilização de Ácido Tranexâmico para Melasma? Esta substância é extremamente eficaz para o tratamento de manchas da pele, responsável por diminuir o processo inflamatório que estimula a produção de melanina.

O ativo possui resultados comprovados e diferentes formas de administração. Neste artigo, explicaremos como funciona, para quem é indicado, os benefícios e a durabilidade do tratamento.

Ácido Tranexâmico para Melasma: como funciona

O Ácido Tranexâmico é utilizado há muitos anos na medicina, mas o primeiro relato no tratamento de melasma aconteceu em 1979, no Japão. Desde então, muitos estudos têm comprovado sua eficácia para diversas hiperpigmentações, como melasma, acne e manchas solares.

Pode ser indicado em cápsulas, em creme e injetável, que é a opção com melhores resultados, segundo especialistas. O procedimento é feito em consultório, por meio da aplicação do medicamento através de uma agulha fina, no local da mancha, na camada intermediária da pele.

Diferentemente de outros clareadores que inibem a enzima tirosinase (responsável pela produção de melanina), o ácido tranexâmico funciona inibindo a conversão de plasminogênio em plasmina, substância liberada sempre que a pele sofre uma agressão como exposição solar, inflamação por acne ou machucado.

Em suma, a plasmina estimula a inflamação, que aumenta a produção de melanina na pele. Ao inibi-la, reduz-se o estímulo da produção de melanina e a pigmentação, impedindo, portanto, que as manchas apareçam, e que aquelas já existentes escureçam.

Eficácia comprovada

Recentemente, foi feito um estudo em São Paulo para avaliar a eficácia do ácido tranexâmico tópico e injetável para o tratamento do melasma. Foram selecionadas 18 mulheres com melasma, tratadas por 12 semanas, sendo dividida em dois grupos.

Grupo A:
Recebeu aplicação tópica em casa, duas vezes ao dia.

Grupo B:
Recebeu injeções intradérmicas semanais.

Parâmetros usados para a comparação:

  • Evolução fotográfica;
  • Evolução do MASI (instrumento de avaliação que reflete a resposta ao tratamento).
  • Autoavaliação;
  • Colorimetria;

Resultado:

O MASI detectou melhora significativa, sem diferença entre os tratamentos. Na autoavaliação do Grupo A, 37,5% das pacientes classificaram como o resultado como bom e 50%, como imperceptível. No grupo B, 66,7% classificaram como bom e 33,3%, imperceptível. A avaliação colorimétrica revelou melhora significativa nos tratamentos.

Portanto, mesmo que a avaliação clínica subjetiva tenha demonstrado superioridade do tratamento injetável, na avaliação objetiva, ambos os tratamentos revelaram–se significativamente eficazes, o que indica que o ácido tranexâmico é uma nova e promissora opção para o melasma.

Ácido Tranexâmico + Drug Delivery

Para um tratamento ainda mais eficiente, o ácido tranexâmico pode ser associado à técnica drug delivery, que utiliza um equipamento com microagulhas para realizar pequenas fissuras na pele.

Essas fissuras abrem caminho para que o ativo chegue em maior quantidade até o local do tratamento, penetrando às camadas mais profundas da pele.

Tratamentos complementares ao ácido tranexâmico

Dr. Bruno Vargas, dermatologista responsável pelo Núcleo de Dermatologia da Clínica Bruno Vargas, esclarece que o uso combinado de ácido tranexâmico com outros tratamentos, como clareadores tópicos e/ou antioxidantes orais, tópicos e injetáveis, otimiza os resultados.

Todavia, é importante perceber que as características de cada pele são individuais e, por isso, antes de iniciar o tratamento em qualquer uma de suas formas, é preciso consultar um profissional experiente.

O médico dermatologista é o profissional responsável por analisar quais distúrbios de pele o paciente possui e se o ácido tranexâmico é indicado.

Após optar por este tratamento, serão definidas as dosagens e a manutenção, bem como a expectativa de resultados e o acompanhamento dos mesmos.

Quais os benefícios do ácido tranexâmico?

A aplicação da substância ajuda a conter o desenvolvimento das inflamações do tecido cutâneo. Como consequência, alguns dos benefícios percebidos são:

  • Clareamento das manchas de melasma e solares.
  • Uniformização da pele.
  • Diminuição das manchas de acne.

Ácido tranexâmico: quanto tempo demora para fazer efeito

O tempo de ação do Ácido Tranexâmico vai depender de fatores como o tipo de pele e a forma de tratamento. Na forma oral, a liberação para o uso depende da avaliação médica e de exames laboratoriais. Depois desta etapa, pode ser indicado por um dermatologista por um período de aproximadamente 6 meses. Geralmente, é usado como tratamento coadjuvante.

Na forma injetável, podem ser recomendadas sessões mensais, entre 5 a 6 sessões. Já o uso tópico, isto é, em forma de cremes para a pele, não existem contraindicações.

Logo, para saber em quanto tempo você observará os benefícios do ácido tranexâmico, é preciso alinhar as expectativas com o profissional. Este período pode variar caso, por exemplo, você esteja associando mais de uma técnica.

Ácido Tranexâmico: valor do tratamento

O tratamento de ácido tranexâmico para melasma é individual e personalizado, não sendo possível, portanto, definir um valor padrão.

O custo varia de acordo com a quantidade de produto utilizado, bem como a maneira com a qual será incluído em sua rotina.

Agenda uma avaliação na Clínica Bruno Vargas!

O melasma é uma condição crônica delicada e variável. Além de variar de acordo com a área do rosto afetada, existem classificações relacionadas à profundidade das manchas. Por isso, é muito importante encontrar um profissional sério e de confiança, que saiba reconhecer e tratar a condição de cada paciente de acordo com suas reais necessidades.

Na Clínica Bruno Vargas, a primeira etapa é a realização de um exame clínico. Com este diagnóstico, Dr. Bruno Vargas encontrará os procedimentos certos para você!

Compartilhe:
Comentários: