23, mar, 2018

Como funcionam os fotoprotetores orais?

Se você ainda é do tipo de pessoa que pensa em proteção solar somente quando vai à praia ou a piscina, está passando da hora de se atualizar. Hoje, a palavra de ordem é proteção diária, seja para quem passa grande parte do dia em ambientes abertos ou para quem fica em locais fechados – até porque a radiação artificial, proveniente de lâmpadas e equipamentos eletrônicos, também pode prejudicar a pele.

Para colaborar com aqueles que dizem se esquecer de passar ou reaplicar o pretor solar tradicional, surgiram os fotoprotetores orais.

O que são fotoproterores orais?

São cápsulas que fornecem um aporte de substâncias como o resveratrol, ricas em ativos antioxidantes que potencializam o uso do protetor tradicional e ainda previnem o desenvolvimento de doenças de pele, combatendo manchas e outros efeitos nocivos do sol.

Os fotoprotetores orais são excelentes alternativas para combater os radicais livres e proteger as células do impacto pelos raios solares, já que possuem substâncias antioxidantes em sua fórmula e trazem diferentes benefícios para o corpo e para a saúde, além da proteção solar.

Até hoje, não foram encontrados estudos que apontem malefícios no uso dos fotoprotetores orais (mas é importante obedecer a dosagem prescrita pelo dermatologista). Porem, é importante ressaltar que essas cápsulas apenas potencializam os efeitos de uma proteção solar já realizada rotineiramente, com o uso do protetor solar tradicional. Além disso, é necessário manter uma regularidade no consumo para que apresentem os resultados esperados.

Onde comprar fotoprotetores orais?

O protetor solar oral pode ser adquirido em farmácias, porém, em casos específicos, como para tratamento de melasma, é fundamental conversar com seu médico dermatologista para que haja uma prescrição personalizada para você.

Conheça os principais fotoprotetores no Portal do Melasma!

 

EBOOK 10 MITOS E VERDADES SOBRE MELASMA

PREENCHA O FORMULÁRIO E LEIA TUDO QUE VOCÊ PRECISA PARA TIRAR SUAS DÚVIDAS SOBRE O MELASMA



Compartilhe:
Comentários: