27, jul, 2016

Como lidar com complicações pelo uso de hidroquinona?

O inverno é um período de “calmaria é ” para o melasma, uma vez que a incidência das radiações solares diminui. Por isso, os tratamentos são muito bem-vindos nessa época do ano. Cada pessoa é tratada de forma individualizada, baseada em uma série de fatores, como tipo da mancha e histórico do paciente. A hidroquinona aparece frequentemente como uma opção. Mas será que seu uso em médio / longo prazo é seguro?

O que é Hidroquinona e como é utilizada

A substância é um potente clareador e é utilizada em concentração de 4 a 5%, sempre de forma moderada e sob prescrição médica. Seu uso, em longo prazo, pode trazer alguns danos indesejáveis, como a hipocromia em confete (manchas brancas dentro da mancha marrom) e a sensiblização da pele que pode levar a um “efeito rebote”. Tal efeito é descrito como um piora da mancha após relativa melhora prévia a algum tratamento. Sabe-se que qualquer procedimento que provoque alguma agressão à pele pode desencadear um processo inflamatório e piora do quadro.

Possíveis tratamentos compatíveis

Por isso, a hidroquinona costuma ser substituída, ao longo do processo, por outros clareadores menos irritativos. O uso tópico de ácido tranexâmico surge como uma possível forma de tratamento, principalmente para os pacientes que não respondem a outras terapias. Ele, por sua vez, pode ser aplicado através de injeções intradérmicas ou ingerido em forma de comprimido. Consulte um especialista para verificar qual é a melhor solução para o seu caso.

 

Compartilhe:
Comentários: