22, ago, 2017

Cuidado para não piorar o que está já está ruim

Mais comum do que a maioria das pessoas pensa e ao mesmo tempo, temido principalmente entre as mulheres, o melasma caracteriza-se pelas manchas em tons de marrom que aparecem com mais frequência no rosto, porém pode surgir em áreas como colo e braços. Dentre os fatores que podem desencadear o melasma, destaca-se a exposição excessiva ao sol, uso frequente de anticoncepcionais, gravidez, entre outros. Agora o contexto é: Se você já tem melasma, vai precisar aprender a conviver com isso pra sempre. Mas já se perguntou por que o seu melasma nunca apresenta “melhoras”?  Listamos aqui, algumas dicas básicas que por desatenção você deixa passar no seu dia a dia.

1) Você sabe usar protetor solar?

O principal começa aqui: Não adianta você “economizar” no protetor e usar uma gotinha para espalhar no rosto todo e achar que com isso já está protegido. A quantidade ideal para cobrir sem “dó” rosto e pescoço é equivalente a uma colher de chá e deve ser reaplicado várias vezes ao dia, especialmente se você permanecer exposto ao sol com frequência. Além disso, é importante conferir no rótulo se o seu protetor solar é suficiente para proteger a radiação UVA e UVB. Nesses casos uma consulta com o dermatologista pode garantir um filtro solar preciso para o seu caso.

2) A luz visível é tão nociva quanto a radiação ultravioleta

Se você tem melasma, precisa entender que até a luz visível (espectro de radiação percebido pelos olhos) que entra pelas janelas da sua casa ou ambiente de trabalho, são nocivas para a sua pele. Por isso, é importante usar filtro solar até mesmo nesses ambientes, já que a claridade pode escurecer ainda mais as machas que você já tem. Vale lembrar que na composição do filtro solar dever conter filtro físico, que é o responsável pela proteção do espectro visível.

3) Pílulas anticoncepcionais merecem atenção

As pílulas anticoncepcionais atuais possuem uma menor concentração de hormônios femininos, logo o estímulo hormonal dos melanócitos é reduzido. A indicação do uso da pílula anticoncepcional, em pacientes com melasma, deve levar em consideração o risco-benefício. Por isso, um acompanhamento multidisciplinar entre ginecologista e dermatologista pode ser uma excelente opção para diagnosticar o melhor método contraceptivo e administrar taxas adequadas de hormônio para o seu organismo sem comprometer a saúde da sua pele.

4) Não possui bons hábitos? Repense!

O problema é nítido. Você possui melasma, mas mesmo assim acredita que pode desfrutar de um belo dia de sol sem nenhum protetor solar ou até mesmo cobiçar aquele bronzeado prometido pelos óleos bronzeadores. Está na hora rever conceitos e mudar sua rotina, caso contrário vai ter que se acostumar a ter pele cada vez mais manchada e escura. Manter o melasma sob controle é mais uma questão de disciplina e mudanças de hábitos do que de mil opções de tratamentos promissores. Você pode aproveitar um belo dia de sol, desde que faça isso de forma inteligente e protegida.

5) Estresse, você sofre com isso?

Você já sabe que os hormônios liberados pelo estresse podem causar diversos problemas para a saúde né? Doenças dermatológicas como a psoríase e o vitiligo, podem ser desencadeadas justamente por esse “vilão invisível”. Então não vai te surpreender saber que o estresse também pode ocasionar ou até mesmo piorar o seu melasma. Essas manchinhas incômodas mexem muito com a autoestima, especialmente das mulheres, por isso, vale a pena fazer exercícios físicos, manter a calma e trabalhar a mente para não deixar o que já te incomoda prejudicar ainda mais a sua qualidade de vida.

Compartilhe:
Comentários: