15, ago, 2018

Melasma no rosto causa dor e coceira?

O melasma no rosto incomoda – e muito, segundo muitas pacientes. Talvez, até mais do que no corpo, uma vez que nossa face é uma região exposta e muito vista pelas pessoas. Mas será que ele também causa dor e coceira? De acordo com o dermatologista Bruno Vargas, essa questão é mais um mito em torno dessa dermatose. “As manchas não causam quaisquer outros sintomas, além de alteração na coloração da pele. Mas, embora não represente uma ameaça à saúde, o aumento da pigmentação causada pelo melasma pode gerar um desconforto de ordem estética e até emocional”, explica.

Se o melasma no rosto não provoca dor ou coceira, outras doenças causam?

Segundo o dermatologista de BH, existem outras lesões de pele que podem apresentar esses sintomas de dor e coceira, é o caso do eczema e da psoríase, por exemplo. Saiba mais sobre essas doenças!

Eczema: é um processo crônico ou agudo de inflamação da pele que se apresenta em forma de manchas avermelhadas, podendo estar associadas a crostas e bolhas. Os sintomas podem ser prurido (coceira), ardor, vermelhidão e descamação. O eczema pode se apresentar de forma localizada ou extensa e não é contagioso.

Além disso, podemos distingui-lo em alguns tipos, sendo os mais comuns: de contato ou atópico. O primeiro tipo é causado pelo contato de substâncias diretamente com a pele, como metais e cosméticos. Já o segundo tipo, habitualmente, desenvolve-se no início da infância, podendo persistir até a idade adulta. Existe um componente hereditário nesse tipo, sendo muito comum em pacientes com histórico de rinite e asma.

Psoríase: é uma doença de pele crônica, não contagiosa e de causas ainda desconhecidas. A dermatose é caracterizada por vermelhidão e descamação da pele e é mais comum aparecer antes dos 30 anos ou após os 50. Atualmente, 1% a 3% da população mundial possui psoríase.

“Essas doenças nada têm qualquer relação com o melasma. Entretanto, só um profissional poderá fazer o correto diagnóstico da mancha e ministrar o tratamento adequado”, pontua Bruno Vargas. Então, se identificar manchas na pele, causando ou não dor e coceira, procure um especialista.

Nem coceira, nem dor e nem manchas

O melasma, seja no rosto ou no corpo, apresenta maior incidência em determinadas etnias. Sabe-se que indivíduos da raça negra, latinos e orientais são mais acometidos.  Além da predisposição genética, a evolução desses males está ligada a fatores desencadeadores, como a exposição a radiações (sol, luz artificial), calor e ativos/tratamentos que agridam a pele.

“É possível que um indivíduo com casos de melasma na família não chegue a desenvolvê-lo”, afirma Bruno Vargas. Ele acrescenta que o protetor solar para cada tipo de pele é sempre um excelente aliado para a prevenção.

O dermatologista de BH afirma, ainda, que o melasma é crônico e, por isso, os sintomas podem ser tratados, mas não há cura. Essas manchas de pele aparecem mais comumente na face, mas podem aparecer em qualquer lugar do corpo, algumas vezes em mais de um simultaneamente. “Há diversas pesquisas que apontam para o estresse como fator desencadeador de problemas na pele, então, o bem-estar também faz diferença”, pondera.

EBOOK 10 MITOS E VERDADES SOBRE MELASMA

PREENCHA O FORMULÁRIO E LEIA TUDO QUE VOCÊ PRECISA PARA TIRAR SUAS DÚVIDAS SOBRE O MELASMA



Aproveite para saber mais e confira outros mitos sobre o melasma, baixe grátis o e-book “9 mitos e verdades sobre o melasma”.

Compartilhe:
Comentários: