14, ago, 2018

Microagulhamento para melasma: tratamento e rejuvenescimento

O microagulhamento para melasma está entre as opções de tratamento. O procedimento é feito com um aparelho especial com microagulhas, que provocam pequenas lesões controladas na pele e induzem à formação de colágeno, elastina e renovação celular de forma intensa. E não precisa se assustar quando falamos em agulhas, já que elas têm entre 0,5 a 2,5 mm de comprimento.

Microagulhamento para melasma: como é o processo?

O clareamento das manchas ocorre tanto pelo rearranjo da melanina após as microperfurações, como pela penetração de ativos (drug delivery) pelos canalículos formados pelo processo. Ou seja, através das pequenas perfurações, é possível que substâncias como os clareadores sejam inseridas no interior da derme, fazendo com que o corpo absorva de forma mais eficiente os ativos.

Quantas sessões de microagulhamento são necessárias?

São necessárias, em média, três sessões, com espaçamento de quatro a seis semanas, dependendo do tipo de tratamento e complexidade do acometimento. Após a primeira sessão, já são percebidos resultados.

Geralmente, a pele apresenta vermelhidão leve depois do procedimento e, por isso, necessita de cuidados especiais, como hidratação e a não exposição ao sol. O tratamento deve sempre ser realizado por um médico dermatologista a fim de garantir que seja feito de forma segura e com assepsia adequada.

Outros benefícios do microagulhamento

O microagulhamento também pode ser usado para tratar estrias, cicatrizes, além de ser uma importante estratégia de rejuvenescimento facial. Existem, ainda, outras opções que, combinadas, podem oferecer resultados bastante satisfatórios. Contudo, é fundamental a avaliação de um dermatologista. Somente ele poderá indicar as melhores opções.

Microagulhamento para tratar região do “colo”

Apesar de pouco comum, a região anterior do tórax, mais conhecida como “colo”, pode ser acometida pelo melasma. Além disso, essa é uma das partes que mais sofre com o envelhecimento da pele. Isso ocorre porque ela costuma estar bastante exposta ao sol e nem sempre é tratada com o mesmo cuidado que a face.

Logo, com o passar dos anos, a região começa a aparentar flacidez, rugas e pigmentação irregular, entre outros sinais de desgaste.

O microagulhamento, então, pode ser usado para promover o rejuvenescimento do colo. Além disso, o procedimento representa uma melhora na firmeza, suavidade e textura da pele, além da possível redução de rugas. E a técnica de microagulhamento com drug delivery também pode ser utilizada em outras regiões do corpo.

Combinação micoragulhamento e drug delivery

De acordo com estudo publicado em 2015 na revista Surgical e Cosmetic Dermatology, a combinação do microagulhamento com drug delivery para a região do colo demonstrou melhora significativa em 100% das pacientes avaliadas. Isso porque as pequenas lesões causadas pelas agulhas ajudam a baixar a propriedade natural de barreira da pele, incentivando a abertura de poros e contribuindo para o acesso das substâncias que atuam no rejuvenescimento dermatológico.

Além disso, o microagulhamento é um tratamento minimamente invasivo e bem tolerado, o que resulta em recuperação rápida e sem muitas limitações.

Para saber se esse tratamento é adequado para você, consulte um dermatologista especializado.

Leia também o artigo sobre MMP – Microinfusão de Medicamentos na Pele.

Compartilhe:
Comentários: