13, jul, 2016

Peeling: Tratamento ou complemento?

Não raramente alguma paciente me pergunta se o peeling químico é um tratamento eficaz contra melasma. A técnica, utilizada por dermatologistas, consiste na aplicação tópica de ácidos que removem as camadas mais superficiais da pele. Esse tipo de procedimento pode ser utilizado para atenuar manchas na pele, inclusive as lesões do melasma, e também para promover a renovação dos tecidos. É importante esclarecer que o ácido usado para realizar o peeling, quando em altas concentrações, pode agredir muito a pele e estimular os melanócitos a produzirem mais melanina. Por isso, é preciso muita cautela!

E, apesar de estarem entre as técnicas utilizadas para combater o melasma, os peelings são mais eficazes quando combinados com outros tratamentos para potencializar os resultados, promovendo clareamento mais rápido e efetivo das manchas.

Atualmente, uma fórmula que tem mostrado resultados eficazes é a aplicação intradérmica de ácido tranexâmico. O medicamento é aplicado na mancha, através de uma agulha bem fina, na camada intermediária da pele. Ele age bloqueando os estímulos que fazem com que o melanócito produza mais pigmento, protegendo a pele e evitando a formação de novas manchas e escurecimento das que já existem.

É fundamental lembrar que, durante o período de tratamento (em qualquer uma das técnicas citadas), o uso diário do protetor solar é essencial, a fim de evitar a reincidência das manchas ou que o melasma se agrave.

Compartilhe:
Comentários: