4, maio, 2020

Previnir melasma: Saiba como evitar essa condição

Prevenir melasma: prevenção é o melhor remédio

Melasma não tem cura, mas existem vários tratamentos capazes de controlar a situação. Mas, mais importante ainda, é o fato de que é possível prevenir o melasma. Mesmo para pessoas que já apresentam a doença, as medidas de prevenção são importantes, porque ajudam a evitar o agravamento do quadro.

Proteção solar em foco

O contato com a radiação, seja ela emitida pela luz solar ou por luzes artificiais, estimula a produção de melanina, uma vez que essa é a proteína que protege a pele contra as agressões. 

O melasma é justamente um processo de hiperpigmentação da pele causado pelo excesso de melanina. Ou seja, a exposição à luz é o principal fator de risco. Assim, prevenir essa doença passa muito por resguardar-se em relação à essas fontes de luz.

Você também pode se ajudar

Produtos tópicos, como filtros solares, constituem a linha de frente para prevenir melasma. A aplicação deve ser feita várias vezes ao dia (a cada três horas, aproximadamente, e sempre que suar ou se molhar) e vale mesmo para dias nublados ou até chuvosos, porque no ambiente com claridade existe radiação e, consequentemente, pode ocorrer o aumento das manchas. Também é recomendado associar esses cuidados com barreiras físicas para a luz, como o uso de chapéus, óculos escuros e sombrinhas.

Raios ultravioleta são o maior perigo

As medidas de prevenção devem estar focadas contra os raios ultravioleta dos tipos UVA e UVB. Os raios A alcançam camadas mais profundas da pele e são fatores de risco não só para o escurecimento das manchas do melasma, como também para o câncer de pele e o envelhecimento precoce. Os raios B, por outro lado, acometem camadas mais superficiais da pele. São os responsáveis pelas queimaduras, aquelas que deixam a pele vermelha e provocam ardência.

Fatores de proteção: como combiná-los para se proteger

O popular FPS (Fator de Proteção Solar) indica proteção apenas contra os raios UVB. Portanto, não basta por si só contra o melasma. É preciso que no rótulo do filtro solar esteja descrito o fator PPD (do inglês, Persistent Pigment Dark), que indica a proteção contra os raios UVA. Sua intensidade pode estar indicada por números, assim como o FPS, ou ainda pela repetição do símbolo +. 

Em geral, para prevenir o melasma se faz necessário que o protetor solar tenha um  FPS 30 ou mais associado com um fator PPD equivalente à, no mínimo, um terço do FPS empregado (ou seja, PPD+ ou ++). No entanto, é indispensável a avaliação de um dermatologista, para que ele possa indicar a abordagem mais adequada para cada caso. 

Procure um dermatologista

O melasma é uma condição crônica, ou seja, demanda cuidados e acompanhamento de um especialista ao longo de toda a vida. Inclusive, a prevenção descrita acima também faz parte do processo de controle da doença, porque evita um agravamento da condição em quem já a apresenta. Os tratamentos objetivam o clareamento, estabilização e impedimento de um retorno das manchas. 

Para melasma mais recente, e por consequência, mais superficiais, o controle pode ser feito com o uso de medicamentos orais ou produtos tópicos. Existem fórmulas tópicas que combinam vários ácidos e apresentam resultados satisfatórios. O peeling também é muito usado contra manchas superficiais.

Nos casos mais extensos e em manchas mais profundas, como melasma mais antigo, são feitos procedimentos, como intradermoterapia com aplicação de ácido tranexâmico ou sessões com o laser de picossegundos (PicoWay®).

Existem, portanto, várias possibilidades de combate ao melasma, e só um dermatologista pode indicar a melhor opção para cada caso.

Então vem com a gente! Marque sua consulta!

Basta preencher o formulário a seguir que entraremos em contato.

Compartilhe:
Comentários: