2, mar, 2016

Queimei demais! E agora?

Quem não gosta de aproveitar o tempo livre e os dias de sol para relaxar na piscina ou em uma bela praia? O problema é quando aproveitamos o dia e descuidamos da proteção contra os efeitos danosos da radiação UV. Após exposição solar prolongada, e sem a proteção adequada, é comum que surjam queimaduras na pele que causam vermelhidão e dor, seguido de um processo de descamação.

Isso ocorre, porque a radiação UV que incide na pele destrói as células dos tecidos, causando lesões nos locais que foram mais expostos. Em casos de lesões mais graves, com surgimento de bolhas e febre, é recomendado consultar um dermatologista, que indicará as medidas corretas a serem tomadas. Já para lesões mais leves, apenas algumas medidas podem atenuar os incômodos como ardência, por exemplo.

Dicas:

Compressas com toalhas umedecidas em água fria são ótimas para amenizar sensações de ardência e calor;

Evite ao máximo se expor ao sol, para não agravar as lesões. Nessas situações a pele fica muito mais sensível e o quadro pode se agravar com muito mais facilidade;

Não use receitas caseiras nem pasta de dente no local das lesões, devido ao risco de piorar as lesões, causar inflamações ou mesmo dermatites. Dê preferência ao uso de cosméticos próprios para hidratação pós-sol, dermatologicamente testados;

– Em casos de descamação, não arranque a pele. Ela serve como uma barreira natural do organismo para proteger parte do tecido que ainda está se recuperando;

– Lembre-se, também, de manter a hidratação interna por meio da ingestão abundante de líquidos;

– Um dos efeitos da incidência solar excessiva na pele é o estímulo à liberação de radicais livres no organismo. Dessa forma, dar preferência aos alimentos ricos em antioxidantes é ideal para minimizar os efeitos internos que a radiação pode causar em nosso corpo.

Compartilhe:
Comentários: