4, maio, 2020

Tratamentos para melasma: não tem cura, mas tem controle

Não existe uma solução definitiva para o melasma. É um quadro crônico, que demanda monitoramento durante toda a vida. Em contrapartida, existem vários tratamentos para melasma bastante eficazes, que permitem manter o problema sob controle. 

Assim como acontece com as causas da doença, não existe um tratamento único, são múltiplas opções de combate ao melasma. A indicação de cada um deles depende da avaliação de um dermatologista e das condições apresentadas pelo paciente.

Como detectar o melasma?

Naturalmente, antes de iniciar algum dos tratamentos para melasma, é necessário que o dermatologista faça uma avaliação e estabeleça o diagnóstico do paciente. Por exemplo, é preciso diferenciar o melasma de outras doenças que geram hiperpigmentação. 

Assim, o médico realiza um exame clínico e investiga a prevalência de fatores de risco, como exposição ao sol, irregularidades hormonais e histórico familiar na vida do paciente. Geralmente, as manchas originárias do melasma apresentam coloração escura e aspecto irregular, mas limites bem definidos, chegando até a ser simétricas.

As (muitas) opções de tratamentos para melasma

Produtos tópicos e medicamentos orais são a base da luta contra o melasma. O objetivo principal é fornecer proteção contra o sol e ação antioxidante. Existem composições tópicas com diferentes ativos (ácido gálico, ácido glicólico, entre outros) que têm sido consideravelmente eficazes contra as manchas. 

  • Durante o dia, é recomendável o uso de produtos na pele que tenham capacidade de conjugar os dois aspectos citados. 
  • Durante a noite, é feito o uso de ácidos clareadores de diferentes potências.

Outro método utilizado hoje em dia é a aplicação de laser. Vale lembrar que o uso de tecnologias que agridem muito a pele são contraindicados, uma que podem causar o efeito rebote (piora da mancha após o tratamento). Dentre as tecnologias permitidas nos tratamentos para melasma, destaca-se o laser de picossegundos (Picoway®), que ataca os pigmentos causadores das manchas de forma precisa e controlada. É considerado um procedimento pouco invasivo e universal em relação aos tipos de pele em que pode atuar.

Funciona por meio de pulsos em picossegundos e, assim, termina resultando na microfragmentação da melanina. Com o PicoWay®, o pigmento se quebra em pedaços infinitamente menores do que era possível com equipamentos mais antigos, permitindo que ela seja naturalmente absorvida pelo próprio organismo. 

O PicoWay® e o melasma

As vantagens do PicoWay®:

  • A principal delas é que ele não gera calor na pele. O equipamento opera a partir de efeito mecânico e não de efeito térmico, como é comum para os outros lasers;
  • Não agride a pele, o que proporciona recuperação imediata;
  • Redução do risco de efeito rebote

Use com moderação

Vale lembrar que o PicoWay® só é indicado em casos bem específicos, de acordo com características individuais da paciente. A indicação precisa ser feita por um dermatologista. Diga-se de passagem, atualmente não se faz uso de lasers fracionados (laser de Co2, por exemplo) e luz pulsada. Esses métodos agridem o melanócito e pioram as manchas.

Ácido tranexâmico

A aplicação de ativos clareadores, antioxidantes e anti-inflamatórios na pele é uma opção terapêutica. O procedimento é feito através da introdução dos medicamentos, por meio de uma agulha fina, na camada intermediária da pele (intradermoterapia). 

O ácido tranexâmico possui ação antifibrinolítica, sendo capaz de diminuir a ativação de uma proteína do sangue chamada plasmina, responsável por degradar coágulos e pelo processo inflamatório da pele que estimula a produção da melanina e das manchas características do melasma.

Assim, o ácido bloqueia os estímulos que induzem o melanócito a produzir mais pigmento. É um jeito de proteger a pele. Impede o aparecimento de novas manchas ou, ainda, as que já existem escurecem. A associação com medicamentos orais e tópicos potencializa a aplicação deste método. Saiba mais sobre ele clicando aqui

Combinando tratamentos

Existem ainda outras opções de tratamentos que podem trazer resultados bastante positivos quando são conjugados de maneira correta. Por exemplo, o emprego de antioxidantes injetáveis pode ser associado a outras opções com boas possibilidades de sucesso.  

Atenção!

É indispensável que o paciente sempre se proteja do sol. A mancha é altamente sensível à radiação. Mesmo em um contexto de clareamento, uma pequena exposição já pode fazer o tratamento de melasma regredir consideravelmente.

Continue conosco! Descubra aqui todos os tratamentos oferecidos pelo núcleo de dermatologia da Clínica Bruno Vargas!

10 mitos sobre melasma! Baixe o guia aqui gratuitamente.

Preencha o formulário e rece

Compartilhe:
Comentários: