21, fev, 2018

Tratamentos que não devemos fazer contra melasma

Para cuidar das manchas causadas pelo melasma, não vale tudo. Por mais que as marcas que ficam na pele possam abalar a autoestima, é sempre importante avaliar com cuidado qualquer tratamento estético para amenizá-las. Para te ajudar a manter a sua pele livre das manchas e, ao mesmo tempo, evitar que complicações apareçam por procedimentos indevidos, separamos 3 tratamentos contra melasma que você deve evitar. Confira a seguir.

1 – Hidroquinona:

Quando o assunto é o tratamento contra o melasma, a hidroquinona sempre é mencionada. É verdade que o produto é o clareador mais potente disponível no mercado, mas, no longo prazo, esse tratamento pode trazer alguns danos indesejáveis!

Podem surgir desde manchas esbranquiçadas dentro da mancha do melasma a dermatites de contato. A pele fica sensível, podendo ocorrer um processo inflamatório local (ativação dos mediadores inflamatórios com estímulo dos melanócitos), e o quadro do melasma pode até mesmo sofrer uma piora.

2 – Propionato de Clobetasol

O propinato de clobetasol é um corticoide, geralmente indicado para tratamento de algumas desordens dermatológicas.

As fórmulas que têm corticoides clareiam, em um primeiro momento. Contudo, apresentam efeito rebote e, em longo prazo, podem causar telangiectasia, que são aqueles microvasos na superfície da pele.

Por ser um corticoide de alta potência, pode trazer complicações à saúde quando utilizado em grandes áreas e por períodos longos.

3 – Laser

O laser é conhecido por trazer ótimos resultados para clarear a pele e deixá-la com ótima aparência. Mas, quando usado sem a indicação correta, o tratamento pode trazer algumas consequências ruins. As manchas podem piorar, estimulando os melanócitos a produzir ainda mais melanina. Por isso, é sempre importante saber qual tipo de laser usar e para qual caso é indicado.

O mais importante para quem convive com o melasma é prevenir o surgimento de novas manchas e a piora do quadro. Fotoprotetores, chapéus e bonés são essenciais, principalmente no verão. Sempre consulte o seu especialista de confiança antes de testar um novo procedimento, evitando tratamentos que não devem ser feitos contra ele. O melasma não tem cura, mas é possível conviver muito bem com esse problema!

Compartilhe:
Comentários: