20, mar, 2017

Uso tópico de ácido tranexâmico

Devido à prevalência crônica do melasma e ao fato de se tratar de algo recorrente, existem diversos estudos que analisam terapias mais satisfatórias do que as já existentes. Novas opções terapêuticas têm surgido e já existem estudos que comprovam a eficácia de algumas delas, como o uso tópico de ácido tranexâmico.

Por quê fazer uso tópico de Ácido Tranexâmico

“Tenho obtido resultados positivos com uso do ácido tranexâmico (AT), tanto tópico quanto oral ou aplicado intradermicamente”, afirma o responsável pelo Portal, o dermatologista Bruno Vargas. Estudos recentes revelaram que seu uso tópico previne a pigmentação induzida pelos raios ultravioletas (UV), já o uso intradérmico promove rápido clareamento.

Relação entre Ácido Tranexâmico e Melasma

O médico explica que o AT é um ativo hidrofílico (que tem afinidade química com a água) e inibidor da plasmina, que é usada como agente antifibrinolítico (inibidores da fibrinólise). Ou seja, a plasmina é uma das responsáveis pela formulação de uma resposta inflamatória na pele. Tal processo estimula a produção da melanina pelos melanócitos, o que resulta em manchas características do melasma. Dessa forma, o ácido bloqueia parcialmente o que causa as manchas.

“Para definir freqüência, dosagem, benefícios e manutenção dos resultados é preciso avaliar cada paciente individualmente”, frisa Vargas. Ele acrescenta que o uso combinado do ácido com outros tratamentos, como clareadores tópicos e/ou antioxidantes orais, pode ser recomendado para alguns pacientes. Converse com seu dermatologista para identificar qual a melhor opção para o seu caso.

Compartilhe:
Comentários: